quinta-feira, 10 de novembro de 2016

A Vida Continua!

"Não é sobre ter 
Todas as pessoas do mundo pra si 
É sobre saber que em algum lugar 
Alguém zela por ti 
É sobre cantar e poder escutar 
Mais do que a própria voz 

É sobre dançar na chuva de vida 
Que cai sobre nós  
É saber se sentir infinito 
Num universo tão vasto e bonito 
É saber sonhar 
E então fazer valer a pena cada verso 
Daquele poema sobre acreditar  

Não é sobre chegar no topo do mundo 
E saber que venceu 
É sobre escalar e sentir 
Que o caminho te fortaleceu 
É sobre ser abrigo 
E também ter morada em outros corações 
E assim ter amigos contigo 
Em todas as situações  

A gente não pode ter tudo 
Qual seria a graça do mundo se fosse assim 
Por isso eu prefiro sorrisos 
E os presentes que a vida trouxe 
Pra perto de mim  

Não é sobre tudo que o seu dinheiro 
É capaz de comprar 
E sim sobre cada momento 
Sorrindo a se compartilhar 
Também não é sobre correr 
Contra o tempo pra ter sempre mais 
Porque quando menos se espera 
A vida já ficou pra trás  

Segura teu filho no colo 
Sorria e abraça teus pais 
Enquanto estão aqui 
Que a vida é trem-bala parceiro 
E a gente é só passageiro prestes a partir..."










quarta-feira, 2 de novembro de 2016

A VIDA CONTINUA...

resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas - choque, estresse - dando condições para enfrentar e superar adversidades. Nas organizações, a resiliência se trata de uma tomada de decisão quando alguém se depara com um contexto entre a tensão do ambiente e a vontade de vencer. Essas decisões propiciam forças na pessoa para enfrentar a adversidade.
A resiliência de um indivíduo dependerá da interação de sistemas adaptativos complexos, como o círculo social, família, cultura, entre outros. A resiliência pode se apresentar ou não em vários domínios da vida de uma pessoa (saúde, trabalho, escola etc.) e variar ao longo do tempo.
O otimismo é a crença de que as coisas podem mudar para melhor. Há um investimento contínuo de esperança e, por isso mesmo, a convicção da capacidade de controlar o destino da vida, mesmo quando o poder de decisão esteja fora das mãos. O otimismo se alia à competência social e à proatividade, tendo por base a auto eficácia.
Já que o objetivo desse blog é tentar ajudar pessoas. Hoje, eu vou ter que falar um pouquinho sobre mim, tudo bem?
No dia 23/10/2016 (um dia depois da minha publicação no blog sobre 13 dicas para quando a vida ficar difícil ) eu tive um AVC isquêmico.

Cheguei em tempo hábil no hospital e foi feito uma medicação para tentar melhorar meu quadro, chamada trombolítico. O problema dessa medicação é que você corre um risco sério de ter uma hemorragia cerebral. 
Passei a noite "em claro" na UTI, refletindo e orando. Pensando em como estavam meus familiares e amigos com essa notícia, como eu estava (ainda estava um pouco em "estado de choque" tentando entender o que aconteceu comigo), tentando entender por quê agora? (tão jovem). 
E decidi que eu não deveria ficar questionando, me revoltar ou me deixar abater, deveria aceitar (pois não temos controle sobre nada) e me esforçar ao máximo para me recuperar o mais rápido possível. 
Claro que tive e ainda tenho dias difíceis.Utilizando uma metáfora, me sinto como uma onda, um dia o mar está mais calmo e no outro dia está mais agitado.
Orei e conversei com Deus, se aquele fosse o momento da minha "partida", que fosse feita a Sua vontade. Entretanto, se não fosse, que eu pudesse continuar com a minha vida sem ficar acamada. Deus na Sua infinita bondade me deixou sobreviver e hoje, com um pouco mais de uma semana após o evento já estou com poucas sequelas (aparentemente foi um AVC mais "leve"). 
Além disso, o que ajudou muito foi o atendimento rápido no hospital e o suporte que recebi da equipe de profissionais do local, os cuidados dos meus familiares (em especial do meu pai e da minha mãe), o carinho da minha irmã, a paciência que a minha mãe tem tido como minha cuidadora desde que voltei para casa e os meus amigos que me apoiaram, que me levam para a fisioterapia (alguns até se disponibilizaram em revezar com a minha mãe nos meus cuidados). Até mesmo minha cadelinha tem me ajudado (fica ao meu lado o tempo todo, me faz dar risadas...)
A causa ainda está sendo investigada, estou em reabilitação neurológica/motora com fisioterapia e em seguimento com o neurologista, mas a mensagem mais importante que quero deixar para vocês é que A VIDA CONTINUA
Com amor
Camila